Paróquia São Miguel e Almas

História

Comunidade Santo Expedito
(Vila Brandão)

    (...) “Outra ainda caiu em boa terra, deu boa colheita, a cem, sessenta e trinta por um. Aquele que tem ouvidos para ouvir ouça!” mbuídos do propósito de semear a palavra em terra fértil o Pároco João Paulo Teixeira Dias e alguns paroquianos estiveram no dia 19 de fevereiro de 2014 em uma das mais novas Comunidades de fé de nossa Paróquia, Comunidade Santo Expedito, na Vila Brandão, para dar início à sua estruturação. Primeiramente queremos dizer quem foi Expedito: Santo Expedito foi martirizado na Armênia. Ele era militar, foi decapitado no dia 19 de abril de 303, sob o imperador Dioclesiano, que subira ao trono de Roma em 284. Ele levava uma vida devassa; mas um dia, tocado pela graça de Deus, resolveu mudar de vida. Foi então que lhe apareceu o Espírito do mal, em forma de corvo, e lhe segredou “cras….! cras….! cras….!” palavra latina que quer dizer: amanhã…! amanhã…! amanhã…!, isto é deixe para amanhã! Não tenha pressa! Adie sua conversão! Mas Santo Expedito, pisoteando o corvo, esmagou-o, gritando: HODIE! Quer dizer: HOJE! Nada de protelações! É pra já! É por isto que o Santo Expedito é invocado nos casos que exige solução imediata, nos negócios em que qualquer demora poderia causar prejuízo. No Brasil, sobretudo, Santo Expedito é invocado nos negócios e dificuldades da vida, conhecido como “o santo das causas urgentes”. Foi celebrada a Santa Missa na residência da Sra. Marise Orondina Ferreira de Amorim e na oportunidade Padre João Paulo disse que aqueles eram os primeiros passos da nova Comunidade que por ora contava com o apoio das Comunidades São Cristovão e São Sebastião (Barra). Esta Comunidade ainda não tinha um local para suas celebrações e Padre João Paulo conclamou-nos a colocarmos no “coração de Deus” a indicação de um melhor caminho para a aquisição de um terreno para a construção de uma capela, seja pela compra ou doação e citou as palavras de D. Luciano Mendes de Almeida (que foi Arcebispo de Mariana): “Aonde há povo há razão de ser pastor”, enfatizando a importância da participação de toda a comunidade. Para constituir a Casa do Senhor a Comunidade conta com o apoio do casal pertencente à Pastoral Familiar, Neide e André e sua filha Letícia (Comunidade Nossa Senhora Rosa Mística) e naquela oportunidade também pensaram na constituição do Conselho da Comunidade e na indicação de nomes para os Ministérios da Palavra e Eucaristia. Nos primeiros momentos a Comunidade Santo Expedito realizou a Celebração da Palavra nas casas toda terceira 4a feira do mês às 19:00 h e, no primeiro domingo do mês às 8:00 h. No primeiro domingo de abril de 2014 a celebração aconteceu às 8:00 com a participação da Comunidade São Cristovão. Para celebrar o dia do padroeiro, aconteceu a festa em sua honra realizada no dia 13 de abril/2014 (Domingo de Ramos). A Santa Missa foi celebrada às 15:00 h e logo em seguida teve a procissão com a participação das comunidades São Cristovão e São Sebastião (Barra).
    Hoje a Comunidade já adquiriu o terreno e iniciou as obras de construção da Capela, dando exemplo de que não podemos deixar para amanhã a nossa caminhada rumo ao Reino celeste.

        Saiba como chegar à Comunidade Santo Expedito, na Vila Brandão: vá pela BR 040 em direção à São Pedro das Perobas, faça o retorno no Posto Perobão e depois de passar de volta pela Escola Antônio Fagundes Netto entre à direita no próximo ponto de ônibus.

        Ana Maria Marques Dias - Divisão de Arquivo Público e Patrimônio Cultural

      História de Santo Expedito:

      Expedito, era chefe da 12ª Legião romana, então estabelecida em Melitene, sede de uma das províncias romanas da Armênia. Ocupava esse alto posto porque o imperador Diocleciano tinha-se mostrado, no começo de seu reinado, favorável aos cristãos, confiando-lhes postos importantes na administração e no exército. Essa legião era conhecida como a "Fulminante", nome que lhe havia sido dado em memória de uma façanha que se tornou célebre. Foi sob Marco Aurélio, durante a campanha da Alemanha. O imperador, estabelecido em um campo fortificado, na região dos Quades, isto é, na atual Hungria, se havia deixado cercar pelos bárbaros. Era pleno verão. A água faltava e a 12ª Legião, recrutada, era em grande parte cristã. Seus soldados se reuniram fora do campo, ajoelharam e oraram, como oram os cristãos. Depois, retomaram logo a ofensiva, mas, mal tinham começado, uma chuva abundante se pôs a cair, e fez recuar os inimigos. Subitamente, os raios e o granizo caíram sobre o exército inimigo com tal violência, que os soldados debandaram em pânico indescritível. O exército romano estava salvo e vencedor. Como se vê, santo Expedito estava no comando de uma das mais gloriosas legiões romanas, encarregada de guardar as fronteiras orientais contra os ataques dos bárbaros asiáticos. Mas a história da Igreja é bastante pobre em detalhes sobre a vida de seus chefes que se distinguiram no comando pelas virtudes de cristãos e de lealdade à causa por que lutavam, como exemplo das mais belas virtudes. "Expedito" ficou sendo o nome do comandante, apelido dado por exprimir perfeitamente o traço dominante de seu caráter: a presteza e a prontidão com que agia e se portava, então, no cumprimento de seu dever de estado e, também, na defesa da religião que professava. Era assim que os romanos davam, freqüentemente, a certas pessoas um apelido, o qual designava um traço de seu caráter. Desse modo, Expedito designa, para nós, o chefe da 12ª Legião romana, martirizado com seus companheiros em Melitene, no dia 19 de abril de 303, sob as ordens do imperador Diocleciano. Seu nome, qualquer que seja a origem de sua significação, é suficiente para ser reconhecido no mundo cristão, pois condiz, com a generosidade e com o ardor de seu caráter, que fizeram desse militar um mártir. Desde seu martírio, Expedito tem se revelado um santo que continua atraindo devotos em todo o mundo. Além de padroeiro das causas urgentes, santo Expedito também é conhecido como padroeiro dos militares, dos estudantes e dos viajantes. Ele era militar e, se já não bastasse a tradição que envolve o seu nome, temos a da sua conversão. Conta-se que, assim que resolveu se converter, uma tentação se manifestou em forma de corvo. O animal gritava "Crás! Crás!", que significa, em latim, "Amanhã! Amanhã!". O que se esperava era que ele adiasse o batismo, mas Expedito teria pisoteado o corvo e gritado: "Hodie! Hodie!", ou seja, "Hoje! Hoje!". E assim agiu;