“Fala Senhor; teu servo escuta!”(1Samuel 3,9)

Mês de agosto sempre foi um marco muito especial para a caminhada daqueles que têm um olhar voltado para Deus. Um período em que todos são convidados a refletir sobre a vocação vivida e assumida. A vocação é a realidade mais importante da nossa vida. Só seremos felizes vivendo a vocação que Deus inscreve no mais íntimo do nosso ser. O que é, pois, vocação e qual a minha vocação? A vocação é um chamado de Deus para um encargo na vida. Cada pessoa humana tem uma vocação. Já no batismo, Deus começa a chamar a pessoa para uma determinada vocação. A pessoa pode ou não estar atenta à voz de Deus e, por isso, seguir ou não, a sua vocação. Uma pessoa que não segue sua vocação nunca será feliz. Por exemplo: quantas famílias vivem hoje desagregadas? É só comodismo, é falta de compromisso? Pode ser tudo isso, mas se formos à base, vamos perceber que um dos dois não tinha vocação para o casamento. O mesmo acontece com a vida sacerdotal ou religiosa. Por isso, uma segunda pergunta: qual é minha vocação? Os pais devem ajudar os filhos na descoberta da verdadeira vocação. Normalmente, os pais preocupam-se para que os filhos tenham boa posição na sociedade. Mas o mais importante é que acertem o passo dentro da vocação. Se os filhos errarem o passo a respeito da vocação, eles não serão plenamente felizes em suas vidas. Hoje, muitas pessoas nem se dão mais conta da importância de refletir sobre a vocação. Assim sendo, é necessário estar atento a tudo, para discernir qual é nossa vocação. Deus fala através de pessoas, de fatos e acontecimentos da vida. Como cristãos, neste ano do laicato, que todos possam assumir o seu lugar evangelizador e transformador na sociedade. Que Deus abençoe catequistas, religiosos, religiosas, diáconos, padres e leigos. Que todos possam viver bem a sua vocação.

Pe José Cisneiro Seabra Ramos - Administrador Paroquial da Paroquia de São Miguel e Almas.


topo da página